ArtigoStoria na mídia

Eventos precisam refletir a energia das pessoas

O maior desafio para criar o conceito de um evento é torná-lo atrativo, interativo e de impacto para o público, especialmente quando reconhecido como referência no mercado. Entendemos que sempre tem espaço para inovar com criatividade e leveza, colocando as pessoas no centro da estratégia. Afinal, queremos gerar experiências relevantes e memoráveis, pois, assim, construímos as melhores histórias. O Marcas de Quem Decide tem dois pilares fortes que guiam todo o nosso trabalho de design thinking. O primeiro é o reconhecimento às marcas mais lembradas e preferidas de altos executivos do mercado gaúcho. O segundo é o reconhecimento às pessoas que constroem e cuidam dessas marcas.

A partir desse entendimento, começamos a desenhar o evento com duas perguntas-chave: “O que move as pessoas?” e “O que movimenta as marcas?”. O que move as pessoas é a energia. E o que movimenta as marcas são as pessoas. Portanto, o evento é o canal direto de interação das marcas com a energia das pessoas. Oportunidade ideal de branding para marcas conectadas com o propósito do evento, em todos os pontos de contato e interação. O conceito aprovado “Energia das pessoas e marcas movendo o mundo dos negócios” norteou a linha de comunicação visual no desenvolvimento e na aplicação do conteúdo e das marcas no evento de reconhecimento da 22ª pesquisa Marcas de Quem Decide. Sem energia não se pode explicar qualquer tipo de movimento, transformação. A energia é de extrema importância para todas as coisas, não só para a física.

Nossa intenção é sempre mostrar que as pessoas são bem mais que consumidores. E o mercado é o mundo no qual a gente vive. E o mundo atual não anda lá muito bem de saúde. Por isso, hoje não podemos mais tratar gestão de branding de uma forma burocrática, pensando só em mercado e consumidores. No momento, o melhor é olhar para a sociedade mais do que para o mercado. Só quem entende isso pode construir marcas com algum significado, algum valor, em um mundo tão fragilizado. E o nosso papel, na Storia Eventos e Projetos, é cada vez mais humanizar os eventos e alinhá-los com os valores das marcas e das pessoas que transformam e impactam nossas vidas.


“Vocês humanizaram o evento.” Essa frase nos foi dita pelo chefe de gabinete da presidência da Fiergs, Júlio Magalhães. Refletimos e chegamos à conclusão de que o conceito estava internalizado nas pessoas envolvidas no evento, realizado pela terceira vez no palco do Teatro do Sesi. A humanização aproxima as marcas e coloca em holofote o trabalho das pessoas. E o mundo, mais do que nunca, precisa da energia das pessoas para que tudo se transforme e nada se perca.

Artigo de Beatriz e Karine, sócias-fundadoras da Storia para o Marcas de Quem Decide 2020.